Ampliação de projeto reuniu população em situação de rua e autoridades no CDDH

Por Juliana Oliveira em 23.3.16

Na última segunda-feira (21/03) mais de 30 pessoas em situação de rua se reuniram na sede do Centro de Defesa dos Direitos Humanos de Petrópolis- CDDH, juntamente com representantes da instituição, de movimentos sociais e de órgãos do poder municipal. O encontro marcou o início das atividades de ampliação do projeto Pão e Beleza: Espaço de Cidadania, executado pelo CDDH agora com o financiamento do SESI- Conselho Nacional.

Na parte da manhã eles chegaram com um brilho diferente nos olhos e a equipe da organização passou a tarde inteira acompanhando a pró-atividade daqueles que visitam diariamente a instituição para receber auxílio do Projeto Pão e Beleza, mas que naquele dia queria mesmo ajudar.... Contribuir com o 'dia de festa'.

Foi desta forma, com eles e para eles, que o lançamento da ampliação do projeto Pão e Beleza, criado em 2004 e sem financiamento há cinco anos, ganhou um novo rumo, um recomeço... 

Faixas com frases encontradas em muros da cidade foram colocadas dentro e fora do casarão  e convidavam o público a repensar as próprias opiniões e preconceitos... Já no salão principal da casa a emoção figurava como pano de fundo na maioria das falas. Carla de Carvalho, membro da coordenação executiva do CDDH e Sidnei Hãn, Educador Popular do projeto Pão e Beleza, resgataram o histórico da iniciativa e a satisfação de conseguir estabelecer uma parceria interessada em financiar a causa. "Embora a gente faça sempre o melhor, sempre nos parece precário...A gente não entende porque esse vínculo para eles é tão forte, mas a gente agradece todos os dias por isso", afirmou Carla.

Após o jantar em conjunto a noite seguiu regada de apresentações artísticas, depoimentos e presentes. Entre um rap e outro, houve quem entregasse flores feitas como agradecimento, quem contasse um pouco sobre o que acontece nas calçadas ou mesmo o que o levou a estar ali... Aqueles que apenas ouviam e cujos sorrisos e lágrimas tanto diziam, mas também os que esqueciam a timidez e se colocavam no centro de fala, acreditando ser um dever contar ou agradecer por algo. Foi o caso de J.S, que falou sobre a vida nas ruas "Já tem um ano e oito meses que eu durmo na calçada e enquanto eu estiver no mundo, eu vou estar sempre aqui", disse.

E os depoimentos continuavam, as demonstrações de talento também... Neste sentido, além de pontuar o surgimento da Política Nacional para População em Situação de Rua, Hilda Correa, assistente social e integrante do Forum Estadual de População em Situação de Rua, falou sobre o dever do poder público local para com este público e elogiou o formato do presente evento "Havia planejado falar sobre a importância do protagonismo das pessoas que vivem nas ruas nos eventos voltados para elas, mas aqui não será necessário falar", pontuou.

Leonardo Boff, teólogo, filósofo e presidente do CDDH se disse extremamente emocionado com as falas de cada um e acreditar que essa população já tem um espaço garantido no céu. "Vocês não sabem a alegria que nos deram hoje e o entusiasmo para continuar a fazer o nosso trabalho". Além dele estiveram presentes também o Inspetor Cunha (Guarda Municipal), Tenente Coronel Eduardo Vaz Castelano (Polícia Militar), o vereador Silmar Fortes (PMDB), a equipe do Projeto Volunteers (GE-Celma), representante da Secretaria de Saúde, Ricardo Tammela, Coordenador de Projetos da FMP/ FASE,   integrantes do Consultório na Rua do município, Paulo Roberto Ramos da Silva, do SESI/SENAI Petrópolis, Padre Rafael e outros membros da Oficina de Jesus e Pastoral de Rua, além de vários apoiadores do projeto que durante todo este tempo de falta de recursos estiveram presentes no dia a dia desta população com campanhas e doações.

Na ocasião a representante do SESI- Conselho Nacional, Ana Lúcia Gomes Donia, que aproveitou o evento para conhecer de perto a execução do projeto financiado destacou a satisfação do grupo em fazer parte desta luta. "Realmente não é só dinheiro, é uma parceria. A ideia é que todos vocês façam parte deste projeto... Não tem como dar errado. Eu entrei aqui e fiquei sem saber o que falar: aqui só tem amor", disse.