CDDH convida para a roda de conversa sobre práticas de cultivo no dia 27 de Setembro às 18 horas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Coletivo de Educação Ambiental e Prátricas Agroecológicas teve seu início no ano de 2014, acerca das discussões ambientais que o Programa Arte-Educação & Direitos Humanos vinha construíndo ao longo do seu processo com os jovens. Tem como objetivo contribuir para a formação em Dereitos Humanos e da Natureza dos participantes do Programa. As atividades relacionam essas temáticas à realidade dos participantes e suas comunidades, tal como o pensamento de Leonardo Boff ao definir o conceito de "Comunidade de vida". 

Entendemos a Educação Ambiental, como uma prática de construção de outros modos de vida, trata-se do resgate dos saberes ligados a cultura popular. Nesse sentido, temos a Agroecologia como bases de nossas ações, na qual contribui para pensar deferentes formas de resistência ao modelo de produção e consumo do sistema capitalista. 

"O ser humano esqueceu-se que a água vem da chuva e a comida vem do solo” (Vandana Shiva).

Vivemos um momento em que a questão ambiental não tem sido prioridade, visto que as mudanças políticas que ocorreram nos últimos anos não favoreceram a ampliação das discussões acerca de uma educação ambiental crítica e que tenha como objetivo a sensibilização da relação com a natureza. Precisamos enxergar o ser humano como parte integrante desse sistema complexo de vida. 
A partir do exposto, o objetivo da roda de conversa é proporcionar uma troca de saberes ancestrais e experiências de práticas de cultivos, assim como conhecer a cultura local das comunidades urbanas de Petrópolis. 

Neste mesmo dia realizaremos o lançamento do livro que conta as narrativas de experiências das práticas de cultivo realizadas no CDDH e nas comunidades dos jovens participantes do Coletivo de Educação Ambiental e Práticas Agroecológicas (EAPA). O livro foi produzido pelos educadores do Projeto Florescer e os Jovens do coletivo (EAPA). Este convite é para todxs que queiram conhecer um pouco mais sobre as diferentes práticas de cultivo, trocar experiências e refletir sobre outras relações com a natureza.