Gênero, Sexualidade e Diversidade: Núcleo do CDDH promove debate sobre diversidade

Por Juliana Oliveira em 01.11.2016

A garantia de direitos da comunidade LGBT- Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais, assim como a de qualquer indivíduo deveria ser uma realidade, algo inquestionável. No entanto, virou sinônimo de luta diária: um movimento que se agiganta e colore os mais variados espaços na busca por justiça e igualdade.

Nesta mesma perspectiva gênero e diversidade são temas atualmente estigmatizados e cada vez mais carentes de debate. Com o intuito de contribuir com esta necessidade o Centro de Defesa dos Direitos Humanos de Petrópolis (CDDH), através do Núcleo de Diversidade Sexual e Gênero, realizará no próximo dia 17/11 às 19h, uma nova edição do ‘Diálogos CDDH’, agora com a temática: Sexualidade, Gênero e Diversidade. O evento será gratuito e aberto a toda a população.

O debate

Através dos projetos que gere, o CDDH busca contribuir para a garantia dos direitos nas sociedades e promove, constantemente, dinâmicas coletivas. Este evento será uma oportunidade para instigar o questionamento das narrativas que surgem a partir da discriminação e o desenvolvimento de medidas que colaborem para a diminuição da violência contra a comunidade LGBT.

Além dos componentes no núcleo participarão do evento Bruna Benevides, Presidente do Grupo Transdiversidade de Niterói, Kakau Ferreira, integrante do Grupo Transdiversidade de São João de Meriti e Laura Mendes, do AffroReggae, que farão a mediação do debate.

A estudante de Psicologia Melissa Fortes, que faz parte do Núcleo do CDDH, conta que a proposta é mostrar que a parcela LGBT não está sozinha, já que se pretende estabelecer um local de acolhimento para as pessoas que sofreram algum tipo de violência ou discriminação “Este primeiro evento também tem como objetivo promover a conscientização sobre as questões LGBT, mostrar os danos do preconceito, mostrar que o preconceito não é meramente uma opinião e sim uma barreira na qualidade de vida de muitos”, esclarece.

 

Da informação à empatia

 Disseminar informação: este é o primeiro passo para um movimento contrário à discriminação. Isto porque o julgamento ou rejeição ocorre também porque o indivíduo ignora muitos aspectos das diversas realidades envolvidas.

Os direitos LGBT deveriam ser amplamente promovidos e garantidos desde o ambiente da família até as outras relações sociais, na escola, na universidade, no trabalho. Mas hoje o que se vê é uma realidade contrária a esta: a violência, em geral, vem de berço e se reproduz na rua, colocando estas pessoas à margem dos mais diversos espaços sociais.

 

Melissa afirma que em Petrópolis, como em outras cidades do Brasil, há carência no repasse de dados com relação às questões LGBT, o que contribui para uma realidade de repetição do descaso e da violência. “Devido a falta de informações, o preconceito se torna algo naturalizado na população em geral, um debate neste tema poderá ajudar as pessoas a refletirem sobre seus atos, terem empatia pelos sentimentos dos outros e compreenderem mais sobre o tema, o que poderá contribuir para uma condição de vida de igualdade e respeito para todos”, finaliza.

 

 

Serviço:

‘Diálogos CDDH’- Diversidade Sexual e de Gênero

Data: 17/11 (quinta-feira)

Horário: 19h 

Local: CDDH- Petrópolis

Endereço: Rua Monsenhor Bacelar- 400- Centro, Petrópolis

-EVENTO GRATUITO-