Monitores do ArticulAção participam de reunião de avaliação do trabalho de pesquisa

Por Juliana Oliveira em 19.02.2015

Após um ano de atividades os jovens monitores do projeto Articulação se reuniram no início de 2015 para elencar as primeiras ações do semestre. Na primeira etapa de ações o grupo realizou um diagnóstico da área, que servirá de base para todo o processo de mobilização que será realizado neste semestre.

Com o trabalho de pesquisa nas comunidades a todo o vapor, a equipe reúne agora, os dados apurados até então, para compor as novas táticas de abordagem e iniciar o trabalho de mobilização das famílias,  a partir da realidade já reconhecida.

As ações acontecem em 4 comunidades da cidade: Madame Machado, Caxambú, Alto Independência e Centro, e atinge um contingente que, embora inconstante,  ultrapassa o registro de participação de 100 jovens.

Além do acompanhamento das oficinas nas comunidades periféricas do município de Petrópolis, o grupo está elaborando sobre a iniciativa, através do trabalho do Núcleo de Cinema & Direitos Humanos do Projeto, com o objetivo de divulgar a essência do projeto e o que ele representa nos cenários visitados.

Rafael Coelho, que é membro do Centro de Defesa dos Direitos Humanos de Petrópolis e (CDDH) e coordenador do ArticulAção, afirma que em  2015 o trabalho irá se intensificar, pois os educadores já realizaram um mapeamento da realidade e estão cada vez mais envolvidos com adaptação das ações. “Agora iniciamos a fase de mobilização da comunidade, pois o objetivo é que a  realidade deles paute o perfil das nossas ações em cada localidade”, conta.

O Projeto ArticulAção é financiado pela Petrobras e executado pelo CDDH, com o intuito de promover ações de formação voltadas aos jovens que vivem em comunidades de Petrópolis, que resultem na realização de uma pesquisa de análise sobre as consequências da conjuntura sócio-econômica a que são submetidos e a influência de determinadas ações na vida deste público.