Vito Giannotti: fica a referência, pois a luta continua!

Faleceu na última sexta-feira (24/07) o comunicador popular e militante da democracia Vito Giannotti. Mas a história de luta e o legado de resistência permanecem.

Aos 72 anos de idade o sindicalista foi inspiração para jornalistas e integrantes de movimentos populares de todo país. O Italiano que adotou o Brasil como lar,  escreveu diversos livros sobre comunicação, com a perspectiva de que é necessário produzi-la com a sociedade. Em São Paulo o autor trabalhou pela ‘derrubada’ de várias direções que buscavam representar trabalhadores, se apropriando dos movimentos. Construiu, assim, a memória das lutas sociais e operárias.

Juntamente com a companheira Claudia Santiago, criou o Núcleo Piratininga de Comunicação,  centro de referência em produção de comunicação popular e sindical do país. Suas falas obstinadas mobilizavam pessoas na busca por uma nova perspectiva de atuação profissional e social. Entre as lutas sociais e a produção de pesquisas, Vito construiu, através da comunicação, pontes firmes para ligar as lideranças e  os intelectuais a todos os cidadãos.

Os Membros do Centro de Defesa dos Direitos Humanos de Petrópolis (CDDH) lamentam a morte de Vito, mas continuaram celebrando sua trajetória, que  é inspirção para os trabalhos desenvolvidos pela organização.